Grafologia em Foco

16/06/2017

A Grafologia consiste no estudo da caligrafia, são reflexos dos aspectos e tendências físicas, mentais e emocionais do ser humano.

A escrita varia com o momento e a idade de cada um. Cada homem tem uma letra e uma personalidade que oscilam, como por exemplo, quando a pessoa está sob tensão, está eufórica, deprimida, ou por uma razão qualquer.

A Grafologia tem como objetivo proporcionar conhecimentos técnicos de como analisar a escrita e definir características pessoais e/ou profissionais através da grafia.

É fundamental que os profissionais que trabalham com a Grafologia tenham capacidade de compreender e não julgar. Além disso, certas características no perfil de um grafólogo são essenciais, entre elas: concentração, mobilidade, crítica, disponibilidade, método, dotes de expressão, ética, juízo construtivo, resistência à fadiga e equilíbrio. Além disso, devem-se evitar sentimentos de poder.

Cada grafólogo deve preparar seu material de estudos e seu trabalho de forma adequada e que obtenha o resultado de maneira organizada e clara, para então traçar a personalidade que se propôs avaliar.

O grafólogo científico experiente pode falar de forma mais aprofundada sobre a idade, saúde mental, sexo, saúde física, inteligência, comportamento, vontade, caráter, temperamento, evolução da personalidade, conflitos psicológicos, detalhes complementares, entre outros.

No mercado atual, sabemos que ajudar as pessoas na busca da realização pessoal e profissional é uma tarefa que requer conhecimento de ferramentas de avaliação que propiciem o autoconhecimento.

Saber como a pessoa é e ter uma visão aprimorada de sua forma de agir, pensar e sentir, auxiliam na elaboração do perfil grafológico, além disso, nos permite conhecer o potencial para o alcance de metas e colocar em prática seus talentos, facilitando alcançar resultados de forma mais assertiva.

A grafologia é uma ciência que permite realizar a análise da personalidade e do caráter observado através da escrita, seu campo de aplicação é diversificado, pois tudo que envolve o comportamento humano pode ser subsidiado por ela.

Por exemplo: Um professor pode conhecer melhor seus alunos e até mesmo identificar sinais importantes no comportamento de crianças, adolescentes e adultos através da observação mais qualificada da escrita.

Em um consultório, o médico pode ter uma visão mais apurada ao avaliar a escrita de um paciente, lembrando que é uma ferramenta de apoio para um diagnóstico mais assertivo, deve-se considerar a história clínica do paciente e os exames solicitados.

No contexto da criminalística e até mesmo processos judiciais a Grafologia nos permite ampliar o conhecimento sobre o indivíduo que está sendo exposto no caso e auxiliar nas técnicas de investigação do caráter e do comportamento humano. A técnica permite um olhar mais profundo propiciando até mesmo a identificação na falsificação de documentos e assinaturas.

Nas organizações, a Grafologia é bem aceita e solicitada nos processos de Recrutamento e Seleção, Promoção e Desenvolvimento de talentos, através dessa ciência é possível identificar comportamentos, habilidades e competências para alavancar os negócios. 

A Grafologia evoluiu muito no decorrer dos séculos como ciência, sendo ensinada em várias universidades da França, Portugal, México, Chile, Peru, Alemanha, Espanha entre outros países. Chegou ao Brasil há pouco mais de três décadas, no entanto a cada dia que passa afirma mais a sua importância, sendo muito utilizada em: processos seletivos por diversas empresas, escolas, auxilio em diagnósticos médicos, institutos criminalistas e até mesmo em processos judiciais.

A escrita é uma das expressões mais importantes de comunicação do ser humano.  No Brasil a Grafologia ainda não faz parte do currículo universitário como nos demais países do mundo. Sendo assim, o conhecimento tem sido passado através de estudos especializados que os grafólogos brasileiros têm feito autodidaticamente e através de certificação internacional, sendo assim, levando conhecimento aos interessados através de cursos (básicos e avançados). Para isso, é necessário que os grafólogos atuantes se dediquem constantemente ao estudo dessa ciência. No exterior a formação como Grafólogo é realizada em centros Superiores de estudos de investigação, inclusive nas Universidades, tendo como exigência básica que os interessados tenham curso superior e se submetam a provas de capacitação quando não forem das seguintes áreas: médica, psiquiatria ou psicologia.


Autor(a): Viviane Felizardo Meyerewicz